segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

quantidade não significa qualidade ...

... já diziam eles!

mas na realidade, é mesmo verdade. apesar de eu não seguir esta 'máxima' (se quisermos), tenho reparado que é inconfundivelmente um óptimo pretexto para uma pequena dissertação acerca. aplicado na prática, quando damos demasiado de nós próprios aos outros, não quer dizer que estejamos a dar o melhor de nós. ao tentarmos ser, sei lá, acessíveis, movíveis, prestáveis ... não estamos necessariamente a ser o que devemos ser. podemos acabar por saturar as pessoas, afastá-las, aliená-las e, portanto, fazê-las desaparecer da nossa vida, ou algo menos dramático. foi a forma mais fácil que arranjei de explicar, não contextualizando o que realmente se está a passar. o pior é quando estamos 'apegados' a essa pessoa e não conseguimos ver o exagero, continuando até batermos com a cabeça na parede.

boa boa?

domingo, 17 de janeiro de 2010

e Deus criou o Homem

no site do Publico está um inquérito que pergunta se Acha que o PS deve incluir a adopção por casais do mesmo sexo na lei que regula o casamento? e mais de metade das pessoas que votaram disseram que não!

como é possível?

a juventude quase perdida

esta noite tive um sonho engraçado. começou no deserto com um grupo de pessoas conhecidas - que para o caso não interessam - e estávamos a fazer uma expedição qualquer. entretanto, num jipe com um antigo colega, fui raptada e levada, de olhos vendados, para um palácio repleto de ouro, onde me disseram que tinha de casar com um rei que me fazia lembrar um personagem do primeiro e segundo filme de 'A Múmia'. acho que era o rei que foi morto logo no início. entretanto, casei-me e tive dois filhos pretinhos. apercebi-me que me estava a olhar ao espelho e era a tyra banks (muito provavelmente porque ontem falei com uma amiga sobre ela e o programa das top models). o sonho acabou com o rei a dar-me um beijo e eu a acordar no deserto, num jipe, acompanhada do tal antigo colega de secundário.

muito agitado e cheio de aventuras. a minha vida também podia ser assim.

bom D.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

destino fatal.



sometimes faith throughs two lovers together just to rip them apart



e.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

BE STUPID!

(somos) HUMANOS

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se a vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será te ti ou pensas que tens... que ser assim

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será te ti ou pensas que tens... que ser assim

Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se a vida em ti a latejar



esta música não deixa de me influenciar. a vida que sinto quando a ouço é.. inundante!

boa quarta-feira.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

e para os mais interessados


INSIDE DYLAN'S BRAIN
(fonte desconhecida)

peço desculpa pela fraca definição, mas é só pedirem a imagem. está espectacular.

ano novo = vida nova?

enquanto a minha impressora barulhenta imprime relatórios que tenho de entregar quinta-feira, inspiro-me para escrever. e sobre o quê? perguntam vocês. absolutamente nada. depois do natal, do ano novo, de tudo passar e de a rotina regressar, posso garantir que nada mudou. excepto algumas resoluções, que eu não considero resoluções, mas para o restante povo são. é sempre bom não ter nada (de interessante) para escrever.

ontem soube que um rapaz da minha cidade morreu num acidente de mota. apesar de não o conhecer muito bem, sinto-me sempre um terror por pensar que ele é pouco mais velho que eu e, por causa de uma mota, e provavelmente um bocado de irracionalidade, já não vive mais. é sempre estranho apercebermo-nos que as pessoas vão desaparecendo à nossa volta. o que também me assusta um bocado.

também ontem comecei a pensar seriamente em fazer erasmus no primeiro semestre do segundo ano de mestrado. sempre quis fazer e sempre o adiei pelas razões erradas. agora, se tiver companhia, parto nessa megalomana aventura portugal fora. sempre quis ser (uma ) estudante estrangeira. a ver vamos se é desta. mas nunca pensei tão a sério.

o resto é só conversa. deixo-vos assim para desligar o illustrator (sim, o meu computador está a deixar de ser multitasking) e fazer-me ao cházinho que quero acabar.

boa semana e bom começo de exames, para quem fôr o caso.